Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 117 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 117 (December 2018)
EP‐161
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.223
Open Access
USO DE AMOSTRA BIOLÓGICA EM PAPEL DE FILTRO COMO TRIAGEM SOROLÓGICA PARA HEPATITE B EM GESTANTES
Visits
...
Danilo Rafael da Silva Fontinele, Jerrison da Silva de Morais, Cristiane Vieira Amaral, Hitalo Roberto de Araújo Coêlho, Emmanuelle Pessoa Costa, Francisco Das Chagas F. de Melo Júnior, Herion Alves da Silva Machado, Fabiano Vieira da Silva, Liline Maria Soares Martins
Universidade Estadual do Piauí (Uespi), Teresina, PI, Brasil
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: TV 2 ‐ Horário: 13:51‐13:56 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: A transmissão vertical da hepatite B é responsável por 35 a 40% dos novos casos de hepatite B no mundo, pois é por meio dela que o vírus é mantido na população. A infecção crônica ocorre em 90% das crianças infectadas no período neonatal, sobretudo nas mães que apresentam testes positivos no momento do parto.

Objetivo: Estimar a prevalência da hepatite B em gestantes no Estado do Piauí, características sociodemográficas das gestantes acometidas com hepatite B; relacionar os casos positivos por mesorregião e levantar o estado sorológico para infecções que causam morbimortalidade fetal.

Metodologia: Estudo retrospectivo de caráter descritivo, feito em um laboratório de referência em saúde pública do Estado do Piauí, tomou por base as fichas individuais das gestantes no Sistema de Gerenciamento de Ambiente Laboratorial. Foram incluídas no estudo as gestantes que fizeram pré‐natal entre janeiro e agosto/2017. Trabalho aprovado com o parecer 2.059.392.

Resultado: Durante o período da pesquisa foram feitos 20.656 testes em papel de filtro para hepatite B em gestantes. Foram não reagentes 98,9%. Cerca de 1,1% (240 casos) foram reagentes para hepatite B e aproximadamente 0,8% das amostras não foram testadas por inadequações na coleta das amostras. Foi observada uma cobertura de investigação em 168 municípios piauienses de acordo com a procedência das gestantes, os maiores números de casos positivos foram concentrados em: Parnaíba com 14 casos e União com 11. A menor idade foi 11 e a maior 47, a maior parte das gestantes tinha entre 21 e 30 anos. Na divisão por mesorregião, a centro‐norte representou o maior número de casos (34%), seguida por norte (29%), sudoeste (24%) e sudeste (13%). Sobre as coinfecções, foram observados cinco casos de infecção aguda por citomegalovírus, quatro casos por sífilis e dois casos por HIV.

Discussão/conclusão: O vírus da hepatite B durante a gestação teve prevalência de aproximadamente 1%, equivalente à prevalência observada em outros estudos, que gira em torno de 0,6 a 0,95%. A maioria dos casos foi proveniente do centro‐norte piauiense e a coinfecção com CMV foi a mais observadas. Diante da prevalência da hepatite B, pode‐se afirmar a importância de um seguimento pré‐natal de qualidade, uma vez que possibilita seu diagnóstico e seguimento clínico em fases precoces da infecção.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools
Cookies policy
To improve our services and products, we use cookies (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here.