Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐269
Open Access
SÍNDROME DE DESMIELINIZAÇÃO OSMÓTICA EM PACIENTE COM CYSTOISOSPORÍASE
Visits
...
Esmailyn Castillo Santana, Cristiane da Cruz Lamas, Marco Antonio S.D. de Lima
Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A Síndrome de Desmielinização Osmótica (SDO) é caracterizada por edema e desmielinização da ponte e áreas extrapontinas resultante, na maioria dos casos, de hiponatremia ou de sua rápida correção. Outros fatores predisponentes incluem doença clínica subjacente grave, deficiência nutricional, e abuso de álcool.

Objetivo: Relatar caso de um paciente que apresentou a SDO secundária a Cystoisospora intestinal relacionada à rápida reposição de sódio em SIDA avançada.

Metodologia: Masculino, 34 anos, HIV+ (CV: 10.691 cópias e CD4: 288 células). Interna, transferido de uma UPA, por quadro de dor abdominal, vômitos, diarreia de mais de 30 dias e acidose metabólica. Exames da admissão: Na: 153 mEq/L, K: 1,9 mEq/L, gasometria: pH: 7,46; pCO2:15,1; HCO3: 11,4. Algumas horas após a admissão apresentou espasmo muscular em face, membros superiores e inferiores; posteriormente crise convulsiva tônico‐clônica generalizada e queda do nível de consciência sendo transferido para o CTI, onde foi intubado e posteriormente traqueostomizado. TC de crânio: imagens hipodensas simétricas em tálamo, cápsula interna e córtex sugestiva de mielinólise pontina e extrapontina. O paciente mantinha diarreia, com pesquisa de coccideos positiva para Cystoisospora belli, iniciado sulfametoxazol‐trimetoprima e corrigida a perda de liquidos e eletrólitos. Posteriormente evoluiu com uma PAV, isolando Klebsiella pneumoniae. Após várias semanas, apresentou melhora do estado geral, porém mantendo sequelas neurológicas importantes, melhorando progressivamente com fisioterapia. Devido a melhora evolutiva do quadro recebeu alta para a enfermaria e posteriormente hospitalar em acompanhamento ambulatorial.

Discussão/Conclusão: Este caso confirma a importância da realização de cálculos adequados para a reposição de eletrólitos, assim como do diagnóstico etiológico precoce e tratamento apropriado da diarreia em pacientes imunosuprimidos, devido à susceptibilidade que estes apresentam a patógenos oportunistas como Cystoisospora belli. Prevenindo dessa forma complicações como a SDO e/ou diminuindo o tempo de recuperação e os deficits neurológicos residuais uma vez instaurada.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools