Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐257
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101335
Open Access
SALMONELLA SPP CARBAPÊNEMICO‐RESISTENTE POR GENE KPC EM PACIENTE ONCOLÓGICO
Visits
...
Alexandre Mestre Tejo, João Gabriel Ma Soncini, Ariane Tiemy Tizura, Gerusa Luciana G.O. Magalhães, Marcia Regina Ech Perugini, Eliana Carolina Vespero, Marsilene Pelisson
Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, PR, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Pacientes oncológicos estão susceptíveis a diversas infecções, devido a imunossupressão tanto ligada ao próprio cancer quanto ao tratamento. Microorganismos multirresistentes são um problema global e crescente nesta população, gerando altas morbidade e mortalidade.

Objetivo: Relatar caso de paciente oncológico com desenvolvimento de infecção urinária por Salmonella sp produtora de carbapenemase tipo KPC.

Metodologia: Homem, 70 anos, diagnosticado com câncer de próstrata em 2017, Gleason 3+3, atualmente realizando radioterapia. Encaminhado para hospital de referência em razão de febre, queda do estado geral e insuficiência respiratória. Apresentava internação recente em serviço secundário com sepse de foco urinário. Após cultura de swab retal de vigilância, também a urocultura isolou Salmonella sp resistente a todos os antibióticos beta‐lactâmicos e quinolonas. Testes fenotípicos e a avaliação molecular, por meio de PCR in house, evidenciaram a presença de carbapenemase tipo KPC. Durante investigação clínica, foi identificada fístula vesico‐retal relacionada à longa radioterapia. Tratado com colistina, o paciente apresentou boa resposta e esterilização da urina.

Discussão/Conclusão: Salmonella spp. apresenta duas espécies: S. enterica e S. bongori, sendo que as subespécies patogênicas aos humanos pertencem todas ao primeiro grupo. As infecções por Salmonella enterica sorovar não Typhi vão de cistites simples até quadros graves, como bacteremia e sepse. Surtos por estes microrganismos estão relacionados a alimentos e animais. Bem como outras Enterobacterales, Salmonella spp. podem apresentar diversos mecanismos de resistência, passando por beta‐lactamases de espectro‐estendido e até carbapenemases. Há relatos de casos de colonização animal (especialmente em aves) apresentando carbapenemases tipo NMD, KPC, IMP e OXA. Mas, infecções por Salmonella extremamente resistentes em humanos são mais raras, porém associadas a quadros graves e refratários. A salmonelose permenece como uma infecção grave, especialmente em paciente imunossuprimidos, e a resistência aos antimicrobianos colabora muito para sua morbidade e letalidade. Métodos que promovam a rápida identificação e adequada avaliação da suscetibilidade aos antimicrobianos do agente devem ser priorizados na tentativa de minimizar as falhas terapêuticas, bem como a disseminação do microrganismo patogênico e multirresistente em unidades hospitalares.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools