Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐332
Open Access
PERFIL DE UTILIZAÇÃO E REAÇÕES ADVERSAS A ANTIMICROBIANOS EM PACIENTES PEDIÁTRICOS INTERNADOS EM UM HOSPITAL TERCIÁRIO DO SUL DO BRASIL.
Visits
...
Gabriele Lenhart, Luísa R. Furtado Leit, Samantha Zamberlan, Isabela Heineck
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: As reações adversas a medicamentos (RAM) representam um dos principais problemas relacionados a medicamentos no ambiente hospitalar. A chance de apresentar RAM é maior entre crianças do que entre adultos, sendo os antimicrobianos os principais envolvidos nos relatos de RAM nesta população, por serem os medicamentos mais prescritos mundialmente, principalmente para a pediatria, em toda a sua abrangência de faixa etária.

Objetivo: Caracterizar a população pediátrica em uso de antimicrobianos, o perfil de uso desses medicamentos e as reações adversas relacionadas.

Metodologia: Uma coorte prospectiva, realizada em hospital terciário. Foram incluídas crianças em uso de antimicrobianos por mais de 24 horas e hospitalizadas por no mínimo 48 horas durante dois meses consecutivos. Após a coleta de dados, as suspeitas de RAM foram avaliadas quanto sua causalidade pelo Algoritmo de Probabilidade de Naranjo e classificadas quanto ao tipo, a fim de determinar qual a relação do fármaco em causar aquela suspeita de RAM ou até mesmo descartar sua relação. Uma análise descritiva foi feita para caracterização da população e do uso de antimicrobianos.

Resultados: 119 pacientes foram acompanhados, no período de 62 dias, sendo a maioria lactente (53,78%) e do sexo masculino (55,46%). Foram encontradas 35 suspeitas de RAM em 23 pacientes, incidência de 19,33%. As reações encontradas, por ordem de frequência, foram diarreia, vômitos, reações cutâneas, náuseas e febre. O medicamento envolvido em maior número de suspeitas foi a cefuroxima, sendo também o mais prescrito. Todas as suspeitas são do tipo A e 80% foram classificadas como possíveis.

Discussão/Conclusão: A incidência de RAM encontrada foi maior que a relatada na literatura. Tendo em vista que um dos critérios de inclusão foi o uso de antimicrobianos, esse resultado era esperado por ser a classe de medicamentos mais relacionada com RAM. A média de antimicrobianos utilizados e o tempo médio de internação foram maiores na população que apresentou suspeita. Uma ação mais ativa da equipe multiprofissional de saúde pode colaborar para a identificação precoce das reações observadas resultando em aumento na segurança dos tratamentos.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools