Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 111-112 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 111-112 (December 2018)
EP‐150
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.212
Open Access
INFECÇÃO GONOCÓCICA RESISTENTE A QUINOLONAS E CEFTRIAXONA: RELATO DE CASO
Visits
...
Fabianna Marcia Bahia Bahia, Daniela Lessa, Jana Fabianna M. Regis, Ana Clara Ambrosio, Flavia Sapucaia, Monica Botura
Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, BA, Brasil
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: TV 10 ‐ Horário: 10:51‐10:56 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: A elevada prevalência de resistência antimicrobiana da Neisseria gonorrhea fez com que o Ministério da Saúde mudasse a orientação terapêutica dessa infecção para ceftriaxona e azitromicina. Estudo de vigilância da resistência in vitro do gonococo mostrou uma taxa superior a 50% em todo o Brasil. Entretanto, dados da Europa, com três casos publicados, já identificaram resistência do N. gonorrhea a vários antibióticos (pan‐R). Vamos relatar um caso de paciente com infecção gonocócica, com uso prévio de vários antibióticos e com resistência intermediária a cefalosporina de 3ª geração.

Objetivo: Descrever caso de paciente com infecçao gonocócica por bacteria multirresistente

Resultado: Paciente de 55 anos, sexo masculino, com queixa de disúria, exame urológico evidenciou espessamento do epidídimo. Encaminhado para espermograma e espermocultura em maio/2017, foi isolado Neisseria gonorrhoeae multisensível. Optou‐se por tratamento com ciprofloxacino, apesar de assintomático no momento. Repetida a espermocultura em julho/2017, com nova positivação de Neisseria gonorrhoeae MS, retratado com ceftriaxona 500mg e azitromicina 1g. Persistiu com cultura positiva, porém com novo perfil de sensibilidade, apenas a cefepime e cefoxitina. Feito novo tratamento com Cefepime por 10 dias. Durante internamento, fez USG de próstata e de bolsa testicular, afastou‐se prostatite e foram observadas ao redor da cabeça do epidídimo imagens císticas multiloculadas. Não foi indicada abordagem urológica. Espermocultura de 21/05/18 teve ausência de crescimento de microrganismo.

Discussão/conclusão: A gonorreia é uma DST de alta prevalência na população geral e o uso indiscriminado dos antibióticos e da versatilidade genômica da Neisseria gerou resistência às classes de primeira linha para o tratamento (sulfonamidas, tetraciclinas, penicilinas e quinolonas). Há estimativa de 78 milhões de novos casos em 2012, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, e em vários países há relatos de falhas no tratamento, devido à resistência de alto nível às quinolonas e à susceptibilidade diminuída à cefalosporina de terceira geração.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools
Cookies policy
To improve our services and products, we use cookies (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here.