Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
EP 183
Open Access
FUSARIOSE CUTÂNEA EM UM FAZENDEIRO IMUNOCOMPETENTE
Visits
979
Amanda de Oliveira Ramos Silvaa, Eduarda Santa Rosa Barataa, Tiago Luiz Lagedo Ferraza, Filipe Prohaska Batistaa, Angela Cristina Rapela Medeirosa, Claudia Elise Ferrazb, Cícero Pinheiro Ináciob, Reginaldo Gonçalves de Lima-Netob
a Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), Recife, PE, Brasil
b Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE, Brasil
This item has received

Under a Creative Commons license
Article information
Special issue
This article is part of special issue:
Vol. 26. Issue S1
More info

A Fusariose Cutânea é uma micose oportunista emergente causada por fungos do gênero Fusarium spp. É transmitida, em regra, pela inalação de aerossóis de conídios fusariais, podendo ainda ser adquirida por implantação traumática em pele. Acomete, principalmente, pacientes com neoplasias hematológicas e receptores de transplante de medula óssea, em quem causa doença disseminada grave. Em imunocompetentes, é responsável por quadros localizados, especialmente cutâneos. O objetivo deste trabalho é descrever um relato de caso de Fusariose Cutânea localizada em indivíduo imunocompetente, adquirida através de implantação traumática. O caso foi observado em um paciente do sexo masculino, 49 anos, agricultor em plantação de banana, sem comorbidades prévias, que procurou o ambulatório de Dermatologia do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, Recife/Pernambuco - Brasil, devido ao surgimento de lesões ulceradas de bordas eritematosas infiltradas com centro necrótico em região de lábio inferior, região supramentoniana e terço distal de sobrancelha esquerda com início em novembro/2018. Foram realizadas biópsias das lesões, cujo histopatológico evidenciou dermatite granulomatosa tuberculoide com pequenos focos abscedados. Como o paciente era proveniente de area endêmica para Leishmaniose Cutânea, foi optado por tratamento da patologia com Antimoniato de Meglumina intravenosa por 50 dias, iniciado em junho/2019. O paciente retornou em dezembro, com piora nas lesões supramentoniana e em sobrancelha, além de surgimento de hepatoesplenomegalia. Devido à severidade do caso, foi optado por internamento hospitalar com realização de novas biópsias e início de Anfotericina B Desoxicolato. Realizada testagem para HIV com resultado negativo, Histopatológico da biópsia da lesão de mento evidenciou filamentos miceliais septados e hialinos por microscopia e fungo filamentoso foi isolado em Sabouraud agar após 5 dias de cultivo. Realizado MALDI-TOF/MS na amostra com identificação de Fusarium solani sensível a anfotericina B e itraconazol e com sensibilidade dose dependente a cetoconazol e voriconazol. Voriconazol 200 mg duas vezes ao dia foi iniciado com melhora importante nas lesões de pele. Paciente recebeu alta com regressão quase total das lesões e assintomático. O esquema foi trocado para Itraconazol por maior disponibilidade da medicação, completando 3 semanas de tratamento com triazólicos. Paciente retornou à consulta ambulatorial em janeiro/2020 com regressão completa das lesões.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases
Article options
Tools