Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐118
Open Access
FEBRE AMARELA: INFORMAÇÃO E PERCEPÇÃO DE USUÁRIOS DO SISTEMA DE SAÚDE PÚBLICO E TRABALHADORES DE UNIDADES MUNICIPAIS VINCULADAS À PUC/SP
Visits
...
Rosana Maria Paiva dos Anjos, Ana Carolina Cavalheri, Débora Paulino de Lira, Rafaela Chiarini Batistella
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC‐SP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Ag. Financiadora: Fundação São Paulo

Nr. Processo: 11738

Introdução: A febre amarela é uma doença infecciosa causada pelo Flavivirus, constituindo‐se uma arbovirose de importante gravidade clínica. A partir de dezembro de 2016, observou‐se aumento dos casos de febre amarela silvestre, com potencial risco de reurbanização em áreas com proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Objetivo: Nesse cenário, decidiu‐se identificar o nível de informação e a percepção da população acerca da febre amarela, além de avaliar os meios de comunicação utilizados por essa população para se informar sobre a doença, e, ainda, avaliar se a presença de discentes e docentes da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (FCMS‐PUC/SP) em unidades de saúde de Sorocaba contribui para o nível de informação dos usuários.

Metodologia: Através de uma metodologia transversal analítica, foram selecionadas 5 unidades básicas de saúde (UBS) de Sorocaba, vinculadas à FCMS‐PUC/SP, nas quais foram aplicados 530 questionários, sendo 500 em usuários dessas UBS, tendo p<0,05, e 30 em agentes comunitários da saúde (ACS). O questionário foi elaborado pelas pesquisadoras através de pesquisa bibliográfica e posterior validação de conteúdo por profissionais da área da saúde.

Resultados: Observou‐se que os principais veículos de comunicação citados foram televisão, redes sociais e internet, além do médico, que ocupa um papel central dentre os profissionais a quem os participantes procuram. Quanto à vacina, observou‐se que a taxa de não vacinação entre os usuários foi de 22,4%, ao passo que todas as ACS foram vacinadas, e que apenas 62,0% dos participantes acreditam na segurança da vacina contra a febre amarela. Quanto à campanha de vacinação, 13,3% das ACS e 19,0% dos usuários relataram terem sido pouco informados, além dos 18,6% de usuários que assinalaram não terem recebido informação nenhuma. Constatou‐se que o nível de conhecimento da população é influenciado por faixa etária, escolaridade e condição socioeconômica do participante. Por fim, as ACS apresentaram melhor desempenho nas questões de conhecimento geral sobre a doença em comparação aos usuários das unidades, entretanto, apenas 36,6% delas sentem‐se muito preparadas para abordar o tema.

Discussão/Conclusão: O trabalho revelou que os usuários das UBS e as ACS têm um nível médio de conhecimento sobre a doença, fazendo‐se necessário ampliar a divulgação e esclarecimento da população acerca da febre amarela para se alcançar seu controle.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools