Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐272
Open Access
FATORES PREDITORES DA AQUISIÇÃO NOSOCOMIAL DE ENTEROBACTÉRIAS RESISTENTES AOS CARBAPENÊMICOS
Visits
...
Adriana Feltrin Correa, José Claudio Simão, Carlos Magno Castelo B. Fortaleza
Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), Universidade Estadual Paulista (UNESP), Botucatu, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Desde outubro de 2012 tornou‐se notável a presença de isolados de enterobactérias resistentes aos carbapenêmicos em um hospital público terciário do município de Bauru‐SP, no entanto, não estão disponíveis estudos relacionando a epidemiologia e os fatores associados à aquisição de tais isolados.

Objetivo: Este estudo teve como objetivo identificar fatores de risco para aquisição de Enterobactérias Resistentes aos Carbapenêmicos (CRE) em pacientes internados no Hospital Estadual Bauru.

Metodologia: Foram incluídos pacientes do local de estudo que apresentaram colonização do trato digestório por CRE, de outubro de 2012 a dezembro de 2016, dos quais foram levantados dados clínicos e demográficos. Os isolados foram identificados por métodos fenotípicos e foram testadas as suscetibilidades por concentração inibitória mínima (MIC). Foi realizado um estudo de caso‐controle que incluiu 427 casos e igual número de controles.

Resultados: Os fatores de risco observados foram queimadura (HR 3,91; IC95% 2,36‐6,46; p ≤ 0,001), índice de Charlson (HR 1,12; IC95% 1,05‐1,20; p ≤ 0,001), uso prévio de esteróides (HR 2,79; IC95% 1,94‐4,02; p ≤ 0,001) e antimicrobianos como as penicilinas/inibidores de beta‐lactamases (HR 2,01; IC95% 1,43‐2,82; p ≤ 0,001), cefalosporinas de 3ª. e 4ª. gerações (HR 2,45; IC95% 1,75‐3,44; p ≤ 0,001), quinolonas (HR 1,70; IC95% 1,75‐2,45; p=0,003) e anaerobicidas (HR 1,63; IC95% 1,04‐2,56; p=0,03).

Discussão/Conclusão: Nossos achados sugerem que em setores endêmicos para colonizações e infecções nosocomiais por CRE, como no caso das UTI, a abordagem de rastreamento de isolados pode identificar pacientes com alto risco de infecção por CRE e levar à otimização precoce do tratamento antimicrobiano.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools