Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐121
Full text access
ESTUDO DAS NOTIFICAÇÕES PARA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA EM CAMPINAS, SP, NO PERÍODO ENTRE 2007 E 2017: ACHADOS DA ANÁLISE DOS CASOS DESCARTADOS ‐ HÁ CIRCULAÇÃO NÃO DETECTADA DE OUTROS PATÓGENOS TRANSMITIDOS POR CARRAPATO?
Visits
2079
André Giglio Bueno, Rodrigo Nogueira Angerami, Maria Rita Donalisio
Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, SP, Brasil
This item has received
Article information
Special issue
This article is part of special issue:
Vol. 25. Issue S1

12° Congresso Paulista de Infectologia

More info
Full Text

Introdução: A febre maculosa brasileira (FMB) é uma doença causada pela bactéria Rickettsia rickettsii e transmitida por carrapatos do gênero Amblyomma spp. A região de Campinas concentra porcentagem significativa dos casos suspeitos (CS) notificados e confirmados em SP e no Brasil e tem, portanto, uma vigilância sensível ao agravo e experiência para investigação epidemiológica. Por se tratar de uma doença de baixa incidência e clinicamente semelhante, sobretudo em sua fase inicial, a outros agravos mais prevalentes, muitos casos são descartados para FMB e confirmados para outros agravos. No entanto, um número significativo de casos tem o diagnóstico de FMB descartado sem que uma causa definitiva–incluindo‐se outras doenças transmitidas por carrapatos (DTC) ‐ tenha sido identificada.

Objetivo: Analisar os aspectos clínicos, epidemiológicos e demográficos dos CS notificados, mas descartados para FMB, bem como a adequação aos critérios de definição para CS, principais síndromes clínicas, qualidade da investigação e diagnósticos definitivos.

Metodologia: Trata‐se de estudo epidemiológico descritivo onde foram analisadas as notificações ao SINAN no município de Campinas no período de 2007 a 2017.

Resultados: Foram 2787 notificações, com média anual de confirmações para FMB de 3%. Dengue, leptospirose e doença meningocócica foram os principais agravos notificados concomitantemente e os principais diagnósticos diferenciais entre os casos descartados para FMB. 46% das notificações apresentavam adequação aos critérios de definição de CS. As síndromes clínicas com manifestações hemorrágicas foram significativamente mais frequentes entre os casos confirmados. 54% dos casos descartados para FMB e sem diagnóstico para outros agravos não tiveram investigação laboratorial adequada e 28% dos descartados e expostos a carrapato e que foram investigados adequadamente, não tiveram confirmação de qualquer diagnóstico.

Discussão/Conclusão: Há um número significativo de notificados para FMB que não são submetidos a investigação laboratorial, mesmo entre expostos a carrapato, o que possivelmente gera uma subestimação da incidência da doença. Há também indivíduos com critérios para definição de CS, expostos a carrapato e investigados adequadamente que permanecem sem diagnóstico. É possível que haja circulação de outras espécies de riquétsias não detectáveis pelos recursos e critérios diagnósticos atuais, bem como é possível que haja circulação de outros patógenos transmitidos por carrapatos com epidemiologia desconhecida na região de estudo.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases
Article options
Tools