Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 45-46 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 45-46 (December 2018)
EP‐024
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.086
Open Access
EPIDEMIOLOGIA DAS INFECÇÕES ORTOPÉDICAS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
Visits
...
Rosana Pereira Rocha Braz, Fernando Baldy dos Reis, Adriana Macedo Dell Aquila
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Data: 18/10/2018 ‐ Sala: TV 6 ‐ Horário: 10:51‐10:56 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: As infecções em sítio cirúrgico (ISC) ortopédico são consideradas graves e sua incidência pode variar entre 0,8 e 71%. A epidemiologia dessas infecções é extremamente importante para auxiliar no diagnóstico etiológico, quando não for possível obter o isolamento do agente.

Objetivo: Analisar a distribuição das infecções osteoarticulares e os agentes etiológicos dos pacientes admitidos no Departamento de Ortopedia e Traumatologia (DOT) do Hospital São Paulo (HSP) entre 2015 e 2016.

Metodologia: Estudo de coorte retrospectivo, dos agentes microbianos isolados nas infecções dos pacientes admitidos no DOT do HSP (UNIFESP) de janeiro de 2015 a dezembro de 2016 com infecção no aparelho locomotor.

Resultado: Foram alocados 72 casos de infecção osteoarticular sendo 25 (34,7%) decorrentes de ISC. Em 13 casos (18,1%) o paciente foi admitido com infecção óssea crônica sem material de síntese e em 11 (15,3%) a infecção pós osteossíntese realizada no HSP teve o aparecimento após 3 meses da cirurgia. Desses 11, encontramos 6 (54,5%) com a realização da remoção do material de síntese para tratamento da infecção óssea. Em 9 (12,5%) a infecção do pós‐operatório teve origem em outra unidade hospitalar com tratamento no HSP. Nos demais 14 casos, as infecções foram de pele/partes moles (6,9%), pioartrite (5,6%), espondilodiscite (4,2%) e osteomielite aguda de ossos longos (2,8%). Em 25 foi identificado o agente etiológico da ISC com o isolamento de 33 culturas. A idade mínima de 19 e máxima de 85 anos, com média de 51 e mediana de 48. Dessa população, 19 (76,0%) foram masculino e 6 (24,0%) feminino. O diagnóstico etiológico foi realizado através de biópsia de tecido do local da infecção em 28 (84,8%) amostras e 5 (15,2%) por isolamento em hemocultura. Os agentes isolados das infecções decorrentes de fratura exposta foram 7 (28,0%), das fraturas não expostas foram 14 (56,0%) e 4 de infecções sem fratura óssea (16,0%). Os principais agentes envolvidos foram P. aeruginosa (18,2%), K. pneumoniae (18,2%) e S. coagulase negativo (SCoN) (15,2%), Acinetobacter spp (9,1%), Enterobacter spp (9,1%), P. mirabilis (9,1%), S. aureus (6,1%), E. coli (6,1%), Enterococcus spp (6,1%) e Outros (3,0%).

Discussão/conclusão: Das infecções do aparelho locomotor na ortopedia da UNIFESP, a ISC representa 1/3 dela, sendo mais prevalente em homens com idade média de 51 anos. Os principais agentes foram P. aeruginosa, K. pneumoniae e S CoN. Em 12,5% a infecção operatória teve origem em outra unidade de saúde.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools
Cookies policy
To improve our services and products, we use cookies (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here.