Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
PI 030
Open Access
EFICÁCIA E TOXICIDADE DE TENOFOVIR (TDF) E ENTRICITABINA (FTC) PARA INFECÇÕES LEVE A MODERADA PELO SARS-COV-2
Visits
...
Erico Antonio Gomes de Arrudaa, Roberto da Justa Pires Netob, Melissa Soares Medeirosc, Alexandre Havtb, Aldo Angelo Moreira Limab, Eurico de Arruda Netod, Daniel Sampaio Rodriguesa, Kaique Abraão Luz Alvesb, Norberto Peporine Lopese, José Quirino da Silva Filhob, Pedro Jorge Caldas Magalhãesb, Fabiana Maria da Silva Nascimentob, Armênio Aguiar dos Santosb, Ana Karolina dos Santosb, Terezinha Freire Françab, Luciana França da Silvab, Kátia Maria Lima Nogueirab, Herlice Veras Do Nascimentob, Francisco de Sousa Juniorb, Charles Roberto Sousa de Melob, Charliene Sousa de Melob, José Amadeus Sousab, Maria Jacinilda Rodrigues Pereirab, João Victor Cosmo Machadob, Renan Lobo Cavalcantib, Marenilda Justa da Silvab, Francisca Mônica da Silva Nascimentob, Dayane Feitosa Guedes de Melob, Lucia de Fátima Alvesb, Maria Luzia Sousa de Melob, Rosania Maria de Paula Silvab, Liana Perdigão Melo Vianaf, Denise Girão Limaverde Limaa, Lyvia Maria Vasconcelos Carneiro Magalhãesb
a Hospital São José de Doenças Infecciosas, Fortaleza, CE, Brasil
b Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil
c Universidade Christus, Fortaleza, CE, Brasil
d Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil
e Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil
f Laboratório Central do Estado do Cerará, Fortaleza, CE, Brasil
Article information
Introdução

Vários fármacos têm sido avaliados para o tratamento da COVID-19, mas somente o antiviral remdesivir foi registrado nos órgãos regulatórios dos principais países desenvolvidos para esse fim. TDF e FTC demonstraram atividade contra o SARS-CoV-2 in vitro.

Objetivos

Avaliar a eficácia e toxicidade de TDF e TDF/FTC em pacientes com infecção leve a moderada por COVID-19. Secundariamente, avaliamos biomarcadores de citocinas, quimiocinas e fatores de crescimento celular, associados à fisiopatogenia da COVID-19.

Métodos

Ensaio clínico randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, em pacientes com suspeita clínica de infecção respiratória leve a moderada por SARS-CoV-2. O estudo foi aprovado pela CONEP e registrado no ClinicalTrials.gov. Pacientes foram aleatoriamente recrutados para tomarem TDF (300 mg/dia) ou TDF/FTC (300/200 mg/dia) ou placebo (Vit. C - 500 mg/dia), por 10 dias. O parâmetro primário foi o escore de sintomas e sinais preditivos de COVID-19, avaliado no sétimo dia de acompanhamento dos pacientes.

Resultados

309 pacientes foram recrutados e 226 foram randomizados nos seguintes grupos: (a) 74 no grupo TDF; (b) 74 no grupo TDF/FTC; e (c) 77 no grupo placebo. Dos 226 pacientes, 139 (62%) foram positivos para o teste RT-PCR para SARS-CoV-2. Febre (≥ 37,8°C), ageusia ou disgeusia, anosmia ou disosmia e dois ou mais sintomas ou sinais clínicos foram significativamente associados com a infecção por SARS-CoV-2. Não houve alteração significativa no escore clínico baseado nos sintomas e sinais clínicos entre os grupos de tratamento. Também não houve diferença quanto aos eventos adversos e eventos adversos graves entre os grupos de tratamentos. Nenhum paciente faleceu durante o período total de 28 dias de acompanhamento do protocolo no estudo. Nos parâmetros secundários, pacientes com infecções respiratórias leve a moderadas por SARS-CoV-2 apresentaram maiores concentrações do fator de crescimento celular e citocinas pró-inflamatórias (G-CSF, IL-1β, IL-6 e TNF-α) em relação aos pacientes sem infecção por SARS-CoV-2.

Conclusões

Febre (≥37,8°C), perda de olfato, perda de paladar e dois ou mais sintomas, têm maior predição para o diagnóstico de COVID-19 leve a moderada. A intervenção farmacológica com TDF ou TDF/FTC não alterou o escore de sintomas e sinais clínicos na infeção respiratória leve a moderada em pacientes com SARS-CoV-2 comparados ao grupo placebo.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools