Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
ÁREA: USO DE ANTIMICROBIANOS NA PRÁTICA CLÍNICAEP‐259
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101337
Open Access
EFETIVIDADE DA TERAPIA ANTIMICROBIANA EM PACIENTE SÉPTICO GRANDE QUEIMADO COM DISFUNÇÃO RENAL E LESÃO OCULAR GRAVE EM TERAPIA INTENSIVA COM VANCOMICINA-PIPERACILINA/TAZOBACTANA ATRAVÉS DA ABORDAGEM FARMACOCINÉTICA‐FARMACODINÂMICA
Visits
...
Maria Severina Santos, Nilo J.C. Duarte, João M. da Silva Junior, Elson M. Silva Junior, Aline Sandre, Adriana Rocha, Alberto S.J. Duarte, David S. Gomez, Vera L. Lanchote, Silvia R.C.J. Santos
Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A associação de vancomicina (V) e piperacilina/tazobactana (PTZ) é a terapia empírica de escolha para pacientes de UTI em choque séptico no combate às infecções causadas por patógenos hospitalares Gram‐positivos e Gram‐negativos.

Objetivo: Investigar através da abordagem farmacocinética‐farmacodinâmica (PK/PD), a efetividade da terapia antimicrobiana combinada V‐PTZ num paciente séptico grande queimado com disfunção renal aguda.

Metodologia: Protocolo foi aprovado pelo comitê de ética do hospital CAEE 07525118.3.0000.0068. Trata‐se do relato de caso de paciente queimado, masculino, 31 anos e 71kg, portador de insuficiência renal aguda (IRA) admitido num hospital público com trauma térmico provocado por explosão de motor com óleo e chamas em 16.01.2020. Na admissão, a superfície corporal queimada foi 25,5%, SAPS*3 de 61, e 70% de risco de óbito, lesão inalatória das vias aéreas superiores. O paciente apresentou queimadura em face/olhos, pescoço, nuca, tórax anterior, região escapular/antebraço bilateralmente. Paciente grande queimado oligúrico, em uso de noradrenalina pela instabilidade hemodinâmica sob vigilância clínica, respiratória, renal e infecciosa. A terapia da dor ocorreu com metadona, paracetamol e dipirona. Em 18/01 coletaram‐se as culturas e foi iniciada a terapia empírica do choque séptico com vancomicina 0,5g q 24h infusão 1h, e a piperacilina/tazobactana 4,5g q8h, infusão estendida 3h. Efetuou‐se a coleta de duas amostras sanguíneas para dosagem sérica dos antimicrobianos no paciente em terapia intensiva em seguimentos consecutivos. A abordagem PK/PD foi aplicada para estimar os índices de efetividade recomendados para a vancomicina ASC0‐24/CIM>400 e para a piperacilina, 100% fΔT>CIM, nos seguimentos investigados, e os dados foram comparados aos reportados na literatura para voluntários sadios.

Resultados: Devido às alterações registradas na PK na fase precoce do choque séptico, o alvo terapêutico foi atingido contra Staphylococcus epidermidis, CIM 1mg/L pela V, e contra Proteus mirabilis, CIM 8mg/L garantindo a erradicação do patógeno pela PTZ. Ocorreu melhora do paciente com remissão do quadro infeccioso e alta hospitalar em 15/03/2020.

Discussão/Conclusão: A prescrição empírica dos antimicrobianos V‐PTZ recomendados, bem como a alteração de conduta médica foi guiada pelas culturas, biomarcadores e abordagem PK/PD, garantindo a cobertura dos antimicrobianos pela abordagem PK/PD na clínica médica.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools