Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐065
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101143
Open Access
AVALIAÇÃO CLÍNICA E EPIDEMIOLOGICA DOS CASOS DE COVID 19 EM CIDADE DO NOROESTE PAULISTA
Visits
...
Maiby Siqueira Custodio, Amanda Cristina Neves, Marcio César do Reino Gaggin
Universidade Brasil, Fernandópolis, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A doença coronavírus 19 (COVID 19), assim denominada pela Organização Mundial da Saúde, é uma síndrome respiratória causada pelo vírus SARS‐CoV‐2, descoberto na China em novembro de 2019. Contudo, confirmando seu primeiro caso em janeiro de 2020. O quadro clínico do paciente é amplo, podendo variar de assintomático até sintomas graves; dentre os principais estão: febre, mialgia, fadiga, cefaleia, tosse, anosmia, odinofagia, dispneia, diarreia. Vale ressaltar, que até 29 de outubro de 2020 o mundo atingiu 44.583.829 casos da doença, sendo 5.468.270 confirmados no Brasil, dos quais, 158.456 evoluíram à óbito.

Objetivo: Este trabalho teve como objetivo expor a epidemiologia da COVID 19 em cidade de médio porte do noroeste paulista, no período de março a outubro de 2020.

Metodologia: Foi realizado um levantamento do número de casos positivos, óbitos, média semanal e índice de replicação semanal provocados pela doença durante o período de março a outubro de 2020. Dados levantados através de notificação compulsória à secretaria municipal da saúde.

Resultados: No período de 25 de março até 29 de outubro de 2020 foram notificados 11.201 suspeitos, sendo confirmados através de PCR e sorologias 3.079 casos; prevalecendo nas mulheres (54,81%) e na faixa de 30 a 39 anos (21,36%). Destes, 55 evoluíram à óbito com letalidade de 1,78%, sendo a menor do departamento regional de saúde (DRS XV), entre as cidades de médio e grande porte. Assim, criou‐se um protocolo gerenciando o fluxo de pacientes advindos das redes municipais de saúde da microrregião com o hospital de referência, sendo estabelecido solicitação de exames complementares e terapêutica adequada. Além disso, durante o estudo notou‐se um platô de duração maior do que o apresentado em países do Hemisfério Norte, com presença de dois picos. Nas últimas três semanas, nota‐se diminuição na notificação dos casos diários, na média semanal, no número de internações em enfermaria e unidade de terapia intensiva, sugerindo tendência de controle.

Discussão/Conclusão: O presente estudo demostra a importância da criação de protocolos de fluxos de atendimento e terapêuticos, necessários para a diminuição da letalidade da COVID‐19. A parceria da secretaria municipal de saúde com o hospital de referência foi de suma importância para a diminuição da letalidade no município. Como aprendizado, está sendo realizado plano para manter uma unidade de isolamento respiratório no hospital de referência para possível surto futuro de doenças respiratórias, permitindo fluxo de atendimento adequado.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools