Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 103 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 103 (December 2018)
EP‐135
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.197
Open Access
ANÁLISE DOS EPISÓDIOS DE NEUTROPENIA FEBRIL EM UM CENTRO DE REFERÊNCIA EM ONCOLOGIA PEDIÁTRICA
Visits
...
Letícia Maria Acioli Marques, Adriana Maria P. Sousa Silva, Priscila C. Pimentel Germano, Ana Paula Cordeiro Lima, Fabianne Carlesse
Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (Graacc), Instituto de Oncologia Pediátrica (IOP), Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: TV 7 ‐ Horário: 10:30‐10:35 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: A neutropenia febril (NF) é uma complicação inerente aos pacientes em tratamento oncológico, apresenta taxas relevantes de morbimortalidade. Diante da incidência e gravidade dos casos de NF, a antibioticoterapia empírica apropriada para o risco infeccioso administrada precocemente tem impacto no prognóstico.

Objetivo: Analisar os episódios de NF em pacientes pediátricos oncológicos quanto à classificação de risco infeccioso e adequação da primeira dose de antimicrobiano, classificação do episódio febril de acordo com o protocolo institucional e a mortalidade.

Metodologia: Estudo retrospectivo feito em hospital de referência em oncologia pediátrica de janeiro de 2017 a junho de 2018, incluídos todos os episódios de NF (neutrófilos < 500 céls/mm3 e T.ax>37,8°C) ocorridos em paciente de 0‐21 anos com neoplasia e/ou submetidos ao transplante de células tronco hematopoiéticas. A classificação de risco constituiu em alto e baixo risco e a classificação clínica é em FOI (febre de origem indeterminada), ICD (infecção clinicamente documentada) e IMD (infecção microbiologicamente documentada). Foi preenchida uma ficha clínica e os dados foram armazenados num banco de dados Excel®. Os dados foram apresentados em variáveis com valor absoluto (n) e frequências relativas (%). A mortalidade foi avaliada em 14 dias.

Resultado: Identificados 896 episódios de NF em 421 pacientes. Antibioticoterapia empírica feita de acordo com a classificação de risco e o tempo de administração foi adequada em 63,3% (567/896) dos episódios, que foram classificados como alto risco (AR), 590 (65,9%), e baixo risco (BR), 306 (34,1%). Os episódios de NF foram FOI em 57,8% (518/896) dos casos, ICD em 17,6% (158/896) e IMD em 24,6% (220/896). Na estratificação conforme o risco, observamos: AR – FOI em 51,7% (305/590), ICD em 20% (118/590) e 28,3% (167/590) de IMD; BR – 69,7% (213/306) de FOI, 13% (40/306) de ICD e 17,3% (53/306) de IMD. A mortalidade global associada ao episódio de NF foi de 2,6% (23/896), 3,4% (20/590) de AR e 1% (3/306) de BR.

Discussão/conclusão: A administração do antibiótico conforme risco em até uma hora da febre foi adequada na maioria dos casos, a IMD foi mais importante nos episódios de AR e FOI em 70% nos casos de BR. A mortalidade maior nos episódios de AR é esperada e concorda com a literatura. A estratificação do risco infeccioso dos pacientes NF, a administração do antibiótico adequado o quanto antes tem impacto positivo no desfecho dos casos.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools
Cookies policy
To improve our services and products, we use cookies (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here.