Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐079
Open Access
ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL EM PACIENTE JOVEM ASSOCIADA A INFECÇÃO POR COVID‐19 ‐ RELATO DE CASO
Visits
...
Andréa Alves da Silva, Gustavo Vinicius Pasquerelli Que, Roberto Soerensen
Instituto de Infectologia Emílio Ribas, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O espectro clínico do COVID‐19 é amplo e varia desde manifestações leves de doença respiratória até pneumonia viral grave com insuficiência respiratória e choque séptico. Dado o amplo espectro de manifestações clínicas, o desafio central para as equipes de enfrentamento, é identificarem precocemente os grupos de risco e determinar as manifestações clínicas que podem representar pior prognóstico com relação à infecção. Atualmente, há associação evidente entre a infecção viral e manifestações tromboembólicas. Dessa maneira, a introdução precoce de anticoagulantes tem demonstrado benefício.

Objetivo: O presente estudo descreve o caso de uma paciente jovem, com manifestações atípicas decorrentes de infecção pelo SARS‐CoV‐2.

Metodologia: F.A.S, 36 anos, previamente hígida, iniciou quadro de cefaleia súbita de forte intensidade, no dia 04/05/2020 por volta das 23h, na ocasião supôs que se devia a cefaleia pré‐menstrual e se automedicou com dipirona VO. Pela manhã do dia 05/05/2020, a dor se intensificou (9/10), e associou‐se à náuseas e perda de acuidade visual parcial à esquerda e amaurose à direita e perda de equilíbrio. Paciente foi avaliada por equipe médica do local e, em 1° atendimento, recebeu dipirona+dexametasona 4mg+dramin dl 1amp IV. Transferida para UTI de hospital da região para investigação, dia 05/05/2020; À primeira avaliação, a paciente estava consciente, orientada, anictérica, acianótica, afebril, respiração espontânea em a.a. Ao exame físico: PIFR, com abertura ocular espontânea, sem alterações aos exames de aparelho respiratório, cardíaco, e abdome inocente. ECG 15, SEM DEFICIT MOTOR. Antecedentes pessoais: Nega alergias e comorbidades. Nega uso de medicamento contínuo.

Resultados: Evolução: Internação em UTI para acompanhamento. Alta dia 09/05/2020: Ao exame neurológico–refere melhora do padrão da cefaleia e mantem hemianopsia homônima temporal à direita. Alta hospitalar em uso de anticoagulante até resultado de angiografia+eco transesofágico+holter de 24h; ECG (05/05/2020): ritmo sinusal. Angiografia cerebral (10/06/2020): oclusão do ramo temporo‐occipital da artéria cerebral posterior esquerda e área hipovascular parietal esquerda.

Discussão/Conclusão: Este caso é notável pois a paciente não apresentou outras manifestações clínicas comuns à infecção por COVID‐19, com cefaleia de forte intensidade súbita, que, durante investigação demonstrou‐se por meio de acidente vascular isquêmico possivelmente decorrente da infecção pelo coronavírus.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools