Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP-031
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101109
Open Access
A CONTRIBUIÇÃO DO CENTRO DE PATOLOGIA DO INSTITUTO ADOLFO LUTZ PARA A VIGILÂNCIA LABORATORIAL DOS CASOS NOTIFICADOS COMO ÓBITO POR SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA (SRAG) RELACIONADA AO SARS-COV-2 NO ESTADO DE SP
Visits
...
Leonardo José Tadeu de Araújo, Camila Santos da Silva Ferreira, Lidia Midori Kimura, Juliana Possatto F. Takahashi, Cinthya Santos Cirqueira, Cristina Kanamura, Rosana Cantini Tolezano, Fernanda Ducatti, Hyndirah Negri R. Sodré, Juliana Mariotti Guerra
Instituto Adolfo Lutz (IAL), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Ag. Financiadora: Secretaria da Saúde

Introdução: O primeiro caso de COVID-19 (Corona Virus Disease-19), causada pelo SARS-CoV-2, no Brasil foi confirmado em 26 de fevereiro de 2020 em São Paulo (SP) e o primeiro óbito pela doença foi registrado em 17 de março. Desde então, o Centro de Patologia (CPA) do Instituto Adolfo Lutz - IAL, Laboratório Central de Saúde Pública do Estado de SP, é o principal responsável pelo diagnóstico do SARS-CoV-2 e o CPA, como departamento de investigação laboratorial de óbitos por doenças infectocontagiosas, atua na elucidação dos óbitos suspeitos de infecção pelo SARS-CoV-2.

Objetivo: Fazer uma análise descritiva dos óbitos por síndrome respiratória aguda (SRAG), encaminhados ao CPA para identificação do SARS-CoV-2, entre março e agosto de 2020.

Metodologia: Foi realizado um estudo transversal retrospectivo a partir dos dados demográficos e laboratoriais de casos notificados como óbito por SRAG no Estado, com hipótese diagnóstica de COVID-19. Por se tratar de estudo retrospectivo de casos de óbito de ampla distribuição geográfica, utilizando dados da vigilância, o uso do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) foi dispensado.

Resultados: Foram recebidos 2099 óbitos com causa associada ao SARS-CoV-2. A maioria era de indivíduos do sexo masculino (n=1259; 60%),>65 anos (n=1202; 57%). Apenas em 627 casos (30%) foi confirmado a presença do Sars-CoV-2 e, dentre estes, a maioria continuou sendo do sexo masculino (n=375; 60%)>65 anos (n=375; 60%). Os municípios com maior frequência de óbitos positivos foram São Paulo (n=147, 23%); Osasco (n=51, 8%) e Campinas (n=39, 6%).

Discussão/Conclusão: Os resultados corroboram a alta frequência de casos graves que eventualmente evoluem para óbito entre os idosos. Os municípios com maior número de óbitos detectáveis para SARS-CoV-2 em nossa casuística se localizam na região Sudeste do Estado, e estão entre os mais populosos e com elevado número de casos notificados/óbitos confirmados: São Paulo (n=282.726/12.384), Osasco (n=13.126/762) e Campinas (n=30.426/1.184). Estudos filogeográficos possibilitarão a identificação de prioridades locorregionais por localização espacial e suas relações com o ambiente. Isso terá implicações no rastreamento epidemiológico e identificação de conexões com surtos de outros países, permitindo o estabelecimento de possíveis rotas de introdução. Neste contexto, é crucial o reconhecimento do IAL durante pandemia e o fortalecimento dos institutos de pesquisa para que possam atuar na vigilância diagnóstica e epidemiológica.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools