Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
EP 219
Full text access
SURTO DE KLEBSIELLA PNEUMONIAE RESISTENTE AOS CARBAPENÊMICOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) ADULTO DESTINADA A INTERNAÇÃO DE PACIENTES COM COVID-19 EM HOSPITAL PRIVADO EM SALVADOR (BA)
Visits
1327
Anna Karenine Brauna Cunha, Rodrigo Silva Gomes, Luiz Augusto Rogério Vasconcellos, Manoela Nascimento Viana, Vanessa Santana Rodrigues de Figueiredo, Leila Santos de Souza, Celi Costa Manzini, Mailu Cristina Pereira da Silva Barros, Danilo Souza Argolo, Edmildes da Cruz
Hospital Jorge Valente (HJV), Salvador, BA, Brasil
This item has received
Article information
Special issue
This article is part of special issue:
Vol. 26. Issue S1
More info
Introdução

As infecções por bacilos gram negativos multirresistentes(MR) estão associadas a importantes desfechos desfavoráveis. Com a pandemia da Covid-19, observou-se um aumento na incidência das infecções por estes agentes nas UTIs de Covid-19. A Klebsiella pneumoniae apresenta-se como um importante patógeno causador de infecção hospitalar e representa um problema de saúde pública e um desafio terapêutico.

Objetivos

Descrever o surto de Klebsiella pneumonaie produtora de carbapenemases que ocorreu UTI de Covid-19 de 10 leitos entre janeiro a maio de 2021.

Metodologia

Estudo descritivo dos casos de infecção e colonização por K. pneumoniae MR identificados durante o surto, da taxa de mortalidade, das medidas de controle e os mecanismos de resistência. A identificação dos microorganismos foi realizada pelo sistema automatizado pelo Vitek 2 e o mecanismos de resistência foi identificado no Lacen- BA.

Resultados

Durante o período do surto, 21 pacientes foram infectados e/ou colonizados por K. pneumoniae MR (Janeiro 09; Fevereiro: 02; Março: 03; Abril: 05; Maio: 02). Tivemos 09 episódios de infecção primaria da corrente sanguínea relacionada a cateter venoso central(IPCS-CVC), 03 de infecções do trato respiratório inferior(ITRI), 02 pneumonias associadas a ventilação mecânica (PAV), 07 colonizações. Dos 14 episódios de infecção, a taxa de mortalidade foi de 71% (10 óbitos). Dos episódios identificados como colonização, a mortalidade foi de 57%, (07 óbitos), a mortalidade geral foi de 66,7%. O mecanismo de resistência identificado foi a produção da enzima KPC. As medidas de controle instituídas foram reforçar a política de isolamento e de higienização das mãos, auditoria de processos, realização de coorte dos pacientes infectados/colonizados, realização de culturas de vigilância após 72h de admissão dos pacientes, reforço nos padrões preventivos das infecções relacionadas aos dispositivos invasivos e da higiene do ambiente próximo ao paciente, implementando a rotina de higiene dos leitos, bombas de infusão, monitores e respiradores pela equipe assistencial.

Conclusão

A K. pneumoniae resistente aos carbapenêmicos é uma bactéria oportunista, que coloniza ou infecta pacientes com quadros graves de saúde. As principais vítimas são pessoas com histórico de hospitalização, com longos períodos de internação, submetidos a procedimentos invasivos e o uso indiscriminado de antibióticos. Este cenário foi encontrado na UTI destinada aos pacientes com Covid-19.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases
Article options
Tools