Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐003
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101081
Open Access
PROCALCITONINA COMO BIOMARCADOR DE PNEUMONIA ASSOCIADA A VENTILAÇÃO MECÂNICA EM PACIENTES COM COVID‐19: É UMA FERRAMENTA ÚTIL NO CONTROLE DE ANTIBÓTICO?
Visits
...
Marina Farrel Côrtes, Bianca Leal de Almeida, Evelyn Patricia Sanchez Espinoz, Alea Faustino Campos, Maria Luisa Nascimento Moura, Laina Bubach Carvalho, André Lazzeri Cortez, Icaro Icaro Boszczows, Silvia Figueiredo Costa, Thais Guimarães
Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O diagnóstico de pneumonia associada a ventilação mecanica (PAV) em pacientes com COVID‐19 é um desafio. A Procalcitonina é um biomarcador que aumenta em infecções e pode ser útil no manejo de pacientes em unidades de terapia intensiva.

Objetivo: Avaliar a procalcitonina como biomarcador para o diagnóstico da PAV e como ferramenta para o manejo do uso de antibióticos.

Metodologia: Coorte envolvendo 73 pacientes internados com diagnóstico de COVID‐19 no Hospital das Clínicas da FMUSP (HC‐FMUSP). Visitas diárias para discutir casos de UTI e uso de antibióticos foram realizadas pelo grupo de controle de infecções do hospital. Os pacientes foram classificados de acordo com os criterios do CDC em PAV e ou outras infeccoes associadas a assistencia a saúde. Foram coletados dados clínicos e demográficos, incluindo comorbidades, antibióticos e exames laboratoriais a partir de prontuários eletrônicos. Os níveis de PCT foram medidos no soro usando VIDAS® B.R.A.H.M.S PCT™ (BioMérieux, Marcy l’Etoile, França). Os dados

Resultados: Dos 73 pacientes com COVID‐19 avaliados, 28 (38%) evoluiram para PAV. Sexo, idade e etnia foram igualmente distribuídos entre os grupos PAV e não‐PAV. Mortalidade, Escore SAPS3 e dias em ventilação mecânica foram semelhantes nos dois grupos. Apenas a PCT apresentou diferença significativa (p=0,0010) entre o grupo PAV (média de 7 ng/mL) e o não‐PAV (média 3.8 ng/mL). Os agentes infecciosos mais frequentes foram gram‐positivo (SNC e S. aureus), entretanto, as bactérias gram‐negativas (K. pneumoniae, A. baumannii e P. aeruginosa) foram significativamente mais isoladas no grupo PAV (p=0,0003). Os antibióticos mais utilizados foram ceftriaxona (69,8%), meropenem (61,6%) e vancomicina (60,3%). 13% dos pacientes supenderam antibiótico baseado na PCT; os valores médios de PCT em pacientes que suspenderam antibióticos foram significativamente inferiores aos que não o fizeram (0,42 ng/mL e 5,72 ng/mL, p=0,002). Os valores de PCR não foram significativamente diferentes (295mg/L e 350mg/L, p=0,21). A curva ROC mostrou que níveis de PCT superiores a 0,975 ng/mL estão mais relacionados a PAV com a precisão de 71,7% (p=0,002).

Discussão/Conclusão: Procalcitonina é um biomarcador útil para o diagnóstico de PAV em pacientes com COVID‐19 e para a manejo do uso de antibióticos. Essa estratégia pode ter impacto no custo da internação e no desenvolvimento de resistência antimicrobiana.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools