Journal Information
Vol. 27. Issue S1.
XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia
(October 2023)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 27. Issue S1.
XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia
(October 2023)
Full text access
PREVALÊNCIA DE CARBAPENEMASES EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO NA REGIÃO AMAZÔNICA NO PERÍODO DE 2020 A 2022
Visits
402
Rômulo Pereira Santos
Corresponding author
med.romulo@gmail.com

Corresponding author.
, Mayara Pantoja Nunes, José de Ribamar Anderson Barros Chaves, Gabriela da Costa Justino, Naiara Maia Chaves, Vanessa Gomes de Lima, Ariana Santana da Silva, Lourival Rodrigues Marsola
Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB), Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, PA, Brasil
This item has received
Article information
Special issue
This article is part of special issue:
Vol. 27. Issue S1

XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia

More info
Introdução/Objetivo

A resistência antimicrobiana constitui um problema de saúde pública em todo o planeta, com a emergência de enzimas beta-lactamases tornando-se um desafio no tratamento das infecções, por ser um importante mecanismo de resistência bacteriana. Este estudo busca descrever a prevalência das carbapenemases identificadas em um Hospital Universitário referência em doenças infecciosas no período de 2020 a 2022.

Métodos

Foram analisados resultados de estudo molecular de amostras microbiológicas analisadas pelo Laboratório Central (LACEN) com identificação de enzimas mutacionais: OXA (Oxacilinase) 51, 23 e 143, NDM (New Delhi Metalobetalactamase), KPC (Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase), SPM (São Paulo metalobetalactamase) e VanA.

Resultados

Foram detectadas 178 carbapenemases entre as amostras analisadas. A NDM foi a mais prevalente em 28% dos isolados, seguida da OXA 23 (24%), da KPC (20,7%) e OXA-51 em 16,2% dos achados. Também foram identificadas em menor prevalência as enzimas VanA em 4%, SPM (3,5%), OXA-143 (0,6%) e a coprodução de KPC-NDM em 3% dos isolados. A Klebisiela pneumoniae foi a bactéria mais associada a produção de NDM e KPC, com 68% e 67,5% dos isolados para as respectivas enzimas. Todos os achados de OXA-23 e OXA-51 foram associados ao microorganismo Acinetobacter baumannii. A expressão de VanA foi detectada em 71,5% dos casos em Enterococcus faecium. Todas as SPM foram isoladas em Pseudomonas aeruginosa. A coprodução KPC-NDM foi observada em isolados de K. pneumoniae (60%) e de Serratia fonticola (40%). Os isolados de OXA-23 e 51 foram os mais prevalentes nos anos de 2020 e 2021 com 32,6% e 24% do total das carbapenemases isoladas do período. Em 2022, esse perfil mudou, a NDM e KPC emergiram como principais carbapenemases isoladas, ocupando destaque na prevalência com 39% e 28,5% do total de enzimas identificadas no ano, demonstrando uma mudança no perfil de resistência no período da análise.

Conclusão

As carbapenemases mais prevalentes foram NDM, OXA 23, KPC e OXA 51. Isolados de coprodução NDM-KPC foram identificados. Foi observada uma mudança de prevalência no período analisado, com emergência de NDM e KPC no ano de 2022, ocupando destaque entre as beta-lactamases isoladas. Tais achados, refletem uma transição no perfil de resistência bacteriana em um curto período.

Palavras-chave:
Carbapenemases
Multirresistência
Resistência antimicrobiana
Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases
Article options
Tools