Journal Information
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 25. Issue S1.
12° Congresso Paulista de Infectologia
(January 2021)
EP‐008
DOI: 10.1016/j.bjid.2020.101086
Open Access
PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES ADULTOS NOTIFICADOS COM SUSPEITA OU CONFIRMAÇÃO DE COVID‐19 NO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG
Visits
...
Máderson Alvares de Souza Cabral, Thalyta Nogueira Fonseca, Luísa de Oliveira Pereira, Vandack Alencar Nobre Jr., Carolina Coimbra Marinho, Luciana Cristina Santos Silva, Helena Duani
Hospital das Clínicas, Universidade Federal de Minas Gerais (HC‐UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Dados sobre pacientes com COVID‐19 tornam‐se progressivamente mais disponíveis na literatura. Entretanto, faltam dados que descrevam globalmente todos os pacientes que passam por setores de internação destinados a síndromes respiratórias durante a pandemia por tal doença.

Objetivo: Descrever as características dos pacientes internados com suspeita ou confirmação de COVID‐19 nos leitos de isolamento respiratório de um hospital quartenário, 100% SUS, comparando casos confirmados e não confirmados.

Metodologia: Os dados foram coletados por busca prospectiva diária em prontuário, incluindo pacientes admitidos de 18/03 a 06/10/2020. Foram excluídos da análise pacientes cuja internação ainda não tinha desfecho nesta data.

Resultados: No período estudado, 473 pacientes foram internados nos leitos destinadas a isolamento respiratório do hospital, sendo estes 18 leitos de CTI e uma variação entre 24 e 64 leitos de enfermaria. Estes pacientes foram admitidos com um tempo de sintomas de média e desvio padrão de 5,69 (8,6) dias, sendo notificados para SRAG e tendo coleta de suabe de amostra respiratória em 1,73 (1,96) dias. Essas amostras tiveram resultado em 3,59 (2,23) dias. 159 (33,6%) casos foram confirmados como COVID‐19 por RT‐PCR. O tempo de permanência hospitalar foi de 15,36 (15,18) dias, com isolamento respiratório de 10,43 (7,58) dias. 148 pacientes (31,29%) tiveram passagem por CTI por 9,57 (10,6) dias, sendo que 83 necessitaram ventilação mecânica por 11,65 (10,85) dias. A TC de tórax era compatível com COVID‐19 em 107 (35,55%) dos 301 pacientes que realizaram o exame, sendo que destes 107, 29 (27,1%) não tiveram confirmação laboratorial da infecção. Os achados mais comuns foram vidro fosco difuso, espessamento septal e atelectasia. As comorbidades mais comuns foram hipertensão, neoplasias sólidas, diabetes e insuficiência cardíaca. A mortalidade global foi de 21,78%, sendo de 27,07% entre os casos confirmados e 19,11% entre os não confirmados.

Discussão/Conclusão: Não houve diferença em nenhuma das variáveis entre os casos confirmados e não confirmados, exceto em mortalidade. Isso mostra que a condução desses casos tem dimensão muito maior do que se espera ao analisar os dados epidemiológicos de COVID‐19. Em nosso hospital, a cada caso confirmado, foram internados 2 outros casos não confirmados, com semelhante necessidade de assistência, insumos e cuidado. Destaca‐se a importância do sistema público de saúde no cuidado destes pacientes, num país em que essa é a única forma de assistência para 75% da população.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools