Journal Information
Vol. 27. Issue S1.
XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia
(October 2023)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 27. Issue S1.
XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia
(October 2023)
Full text access
OSTEOMIELITE ACTINOMICÓTICA: RELATO DE CASO
Visits
474
José Rodrigues Pimenta Júniora,
Corresponding author
juniorpimentaoficial@gmail.com

Corresponding author.
, Corine Silva Sampaiob, Claudilson Bastosa, Fernando Luís Khouri da Silvac
a Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Salvador, BA, Brasil
b Maternidade Climério de Oliveira, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, BA, Brasil
c Hospital Aliança, Salvador, BA, Brasil
This item has received
Article information
Special issue
This article is part of special issue:
Vol. 27. Issue S1

XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia

More info

O presente relato aborda um caso de um homem, 29 anos, sem comorbidades, com história de infecção de pele e partes moles em lesão traumática cortocontusa na mão direta, em Zona V e VI de Eaton, após dois dias da execução de um golpe na cavidade oral de um indivíduo. Na admissão, o paciente encontrava-se febril, dor intensa, com edema e eritema local. A ultrassonografia da mão direita mostrou espessamento da tela subcutânea e pequena coleção líquida (2,1 cm x 0,5 cm x 0,4 cm) de natureza inflamatória e infecciosa. A análise microbiológica da amostra mostrou crescimento de Actinomyces odontolyticus. Iniciou-se a antibioticoterapia empírica inicial com Clindamicina. No entanto, o paciente evoluiu com piora local e drenagem espontânea da ferida. Realizou-se uma Ressonância Magnética da mão e observou-se intensa sinovite articular, extenso edema subcutâneo e líquido na bainha dos tendões extensores, sugerindo tenossinovite pós-traumática e uma lesão óssea com provável coleção. Contudo, escalonou-se para o esquema com Daptomicina e Ampicilina-Sulbactam e indicou-se abordagem cirúrgica do foco infeccioso, na qual realizou-se tenólise em túnel osteofibroso dos extensores, desbridamento dos tecidos desvitalizados, limpeza cirúrgica exaustiva com lavagem copiosa da lesão e colheita de culturas e material ósseo para anatomia patológica. Após dez dias de antibioticoterapia otimizada e resolução do foco infeccioso, o paciente foi transferido para cuidados domiciliares com uso de medicação oral em regime prolongado. Um mês após concluir o tratamento, o paciente retornou apresentando melhora clínica, com recuperação funcional, ausência de dor e edema local. Ainda que pouco frequentes, a bactéria Actinomyces odontolyticus tem grande potencial como agente de graves infecções de feridas e a avaliação do perfil de sensibilidade e as medidas de controle do foco infeccioso é um importante dilema na prática clínica.

Palavras-chave:
Osteomielite Actinomicose Infecção Osso
Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases
Article options
Tools