Journal Information
Vol. 27. Issue S1.
XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia
(October 2023)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 27. Issue S1.
XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia
(October 2023)
Full text access
MICOBACTÉRIAS NÃO-TUBERCULOSAS: ESTUDO DE PREVALÊNCIA EM UM HOSPITAL TERCIÁRIO NO SUL DO BRASIL
Visits
290
William Latosinski Matos
Corresponding author
wlmatos@hcpa.edu.br

Corresponding author.
, Patricia Orlandi Barth, Alessandra Helena da Silva Hellwig, Grazielle Motta Rodrigues, Luciana Giordani, Denise Maria Cunha Willers, Viviane Horn de Melo, Juliana Bergmann, Maria Cristina de Oliveira Amaro Ritter, Claire Beatriz Soares, Dariane Castro Pereira, Rodrigo Minuto Paiva, Afonso Luis Barth
Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Porto Alegre, RS, Brasil
This item has received
Article information
Special issue
This article is part of special issue:
Vol. 27. Issue S1

XXIII Congresso Brasileiro de Infectologia

More info
Introdução/objetivo

Micobactérias não-tuberculosas (MNT) são microrganismos ubíquos mas que podem causar uma série de infecções, principalmente pulmonares e em pacientes imunocomprometidos. Estudos sugerem que infecções por estes microrganismos têm aumentado nas últimas décadas: a prevalência estimada passou de 2,4 casos/100.000 em 1980 para 15,2 casos/100.000 em 2013 nos EUA. O objetivo deste estudo foi avaliar a epidemiologia das MNT em nossa instituição, bem como avaliar a performance do sequenciamento parcial do gene hsp65 para identificação das espécies de MNT.

Métodos

Foi realizado um estudo retrospectivo de janeiro a dezembro de 2022. Os isolados foram identificados por MALDI-TOF VITEK® MS (bioMérieux, França), e o sequenciamento do gene hsp65 foi realizado pela técnica de Sanger. A identificação foi feita por comparação da sequência obtida com sequências depositadas no GenBank®. Além disso, foi realizada avaliação interlaboratorial.

Resultados

No período do estudo, foram realizadas 2415 culturas de micobactérias, provenientes de 1845 pacientes. Desses, 6,45% (n = 119) dos pacientes apresentaram cultura positiva para micobactérias, entre as quais 29% (n = 35) foram positivas para MNT. As culturas positivas para MNT foram majoritariamente de material respiratório (97%) e as espécies mais frequentes foram, respectivamente: M. gordonae (n = 10), Complexo M. abscessus (n = 8), M. chelonae (n = 4), Complexo M. avium (n = 4), M. kansasii (n = 2), Complexo M. fortuitum (n = 2), e apenas 1 das espécies: M. cosmeticum, M. celatum, M. lentiflavum, M. mucogenicum e M. scrofulaceum. Para avaliação do gene hsp65, foram testadas amostras em duplicata de culturas positivas para M. gordonae, M. kansasii, Complexo M. abscessus, Complexo M. tuberculosis cepa H37rv e Mycolicibacterium mucogenicum. Após as análises, todas as amostras apresentaram similaridade de 100% quando comparadas com sequências no GenBank®, com exceção da amostra de Mycolicibacterium mucogenicum que apresentou similaridade de 96%. Todavia, na avaliação interlaboratorial e na comparação com os resultados obtidos no MALDI-TOF a concordância obtida foi de 100%.

Conclusão

MNT são patógenos oportunistas e a identificação rápida e precisa a nível de espécie é uma etapa importante para o sucesso do tratamento. A utilização do gene hsp65 apresentou-se promissora, entretanto, demais espécies, sobretudo as mais prevalentes na nossa instituição, devem ser avaliadas visando a inclusão do ensaio no portfólio de exames.

Palavras-chave:
Micobactérias não-tuberculosas Prevalência Sequenciamento Sanger Micobactéria Identificação
Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases
Article options
Tools