Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
EP 209
Full text access
IDENTIFICAÇÃO DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES EM SÉRIE HISTÓRICA DE 2017 À 2021 EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
Visits
1326
Jorge Luiz Nobre Rodriguesa, Renato Mendes Martinsa, Maria Izabel Eloy de Oliveira Senaa, Henry Pablo Lopes Campos e Reisa, Geovania Maciel de Souzab, Germana Perdigão Amarala, Luciana Vladia Carvalhedo Fragosoa, Evelyne Santana Girãoa, Ruth Maria Oliveira de Araújob, Bruno Gomes Rodrigues dos Santosb, Paulo Cesar Pereira de Sousab
a Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
b Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), Fortaleza, CE, Brasil
This item has received
Article information
Special issue
This article is part of special issue:
Vol. 26. Issue S1
More info
Introdução

As bactérias multirresistentes, nos últimos anos, tornou-se um problema dos hospitais ao redor do mundo; a cada ano, a incidência de pacientes colonizados com este perfil de infecção cresce, se estabelecendo como uma pandemia de difícil resolução. Dentre estas, os gram negativos produtores de carbapenemases e as VRE (enterococcus resistentes a vancomicina) destacam-se por sua recorrência nos hospitais brasileiros. Por esse motivo, é imprescindível a identificação precoce desses microrganismos por meio dos laboratórios de microbiologia e serviços de vigilância em saúde institucionais para iniciar os devidos protocolos de prevenção, como isolamento desses pacientes, bem como orientações acerca do tratamento adequado.

Objetivo

Identificar o perfil de resistência bacteriana dos pacientes isolados em um hospital universitário.

Metodologia

Foram analisados 715 pacientes isolados por suspeita de bactérias multirresistentes de um Hospital Universitário no Ceará por meio de planilhas de isolamento entre janeiro de 2017 e agosto de 2021 acompanhados pelo Serviço de Controle de Infecção Hospitalar institucional.

Resultados

Dentre os 715 pacientes isolados, em 310 (43,33%) foram identificados microrganismos gram negativos com perfil de resistência aos carbapenêmicos, dos quais 185 (59,67%) eram K. pneumoniae, 45 (14,51%) eram P. aeruginosas e 80 (25,8%) eram A. baumannii; em 168 (23,49%) foram identificados VRE e 44 (6,15%) gram negativos produtores de Metalo-β-Lactamases, estas, por sua vez, foram identificadas entre 2019 e 2021.

Conclusão

Denota-se que a resistência a carbapenêmicos é o perfil mais recorrente das bactérias isoladas, sendo a K. pneumoniae com a maior incidência, isso implica em um maior desafio terapêutico, pois as opções no mercado brasileiro são limitadas, além disso, o número crescente de bactérias Metalo-β-Lactamases evidencia uma conjuntura preocupante, uma vez que não há quaisquer tratamento on-label para este perfil, elevando assim, o estado de alerta entre as instituições de saúde brasileira para essas bactérias.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases
Article options
Tools