Journal Information
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 26. Issue S1.
(January 2022)
PI 002
Full text access
DENSIDADE DE INCIDÊNCIA E CONSUMO DE ANTIMICROBIANO NA MODALIDADE OPAT E SUA CORRELAÇÃO COM A PANDEMIA DE COVID-19 EM SERVIÇO DE ATENÇÃO DOMICILIAR
Visits
1471
Janaína Guimarães de Araujoa, Glaucio de Oliveira Nanginoa, Bruna Rafaela de Almeida Duartea, Débora Jardim Nascimento Lagea, Marina Inacio Coimbraa, Allan Jefferson Cruz Calsavaraa,b
a Serviço de Atenção Domiciliar da Unimed-BH, Belo Horizonte, MG, Brasil
b Escola de Medicina, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto, MG, Brasil
This item has received
Article information
Special issue
This article is part of special issue:
Vol. 26. Issue S1
More info
Introdução

Nas últimas décadas, como consequência dos esforços em reduzir o tempo de internação hospitalar, da preferência dos pacientes e familiares por receber atendimento em casa e, recentemente, da pandemia de COVID-19 observou-se um aumento crescente da modalidade de terapia antimicrobiana parenteral ambulatorial (OPAT).

Objetivo

Avaliar a densidade de incidência e consumo de antimicrobiano por OPAT após janeiro de 2020 e sua correlação com a pandemia de COVID-19. Metodologia: Estudo realizado pela Comissão de Controle de Infecção Domiciliar (CCID) do Serviço de Atenção Domiciliar (AD) de uma operadora de saúde em Belo Horizonte (BH) entre janeiro de 2020 e agosto de 2021. Foram calculados densidade de incidência de OPAT, dose diária definida (DDD) e dias de terapia (DOT) por 1000 pacientes-dia. Correlações entre número de OPAT, DDD e DOT e número de casos notificados de SG, SRAG, casos confirmados e doses de vacina distribuídas também foram realizadas.

Resultado

Entre janeiro de 2020 a agosto de 2021, foram realizadas 4.784 OPAT em 2.566.502 pacientes-dia em AD. A densidade de incidência média no período foi de 1,87 OPAT por 1.000 pacientes/dia. A DDD total por 1000 pacientes-dia apresentou tendência a redução a partir de maio de 2021 quando comparada com o mesmo período de 2020, o DDD total em agosto de 2021 foi de 11,09; 26,7% menor quando comparado ao mesmo período de 2020. O DOT também apresentou queda no mesmo período, após maio de 2020 houve queda média de 16,7%, com agosto de 2021 registrando DOT de 13,49 por 1.000 pacientes-dia em atenção domiciliar, 24,9% menor do que o mesmo período de 2020. Após análises de correlação entre número de OPAT, DDD total e DOT com número de notificações de SG, notificações de SRAG, casos confirmados de COVID-19 e vacinas recebidas em BH, encontramos uma correlação moderada entre a quantidade de vacinas recebidas em BH e o DDD total e DOT entre janeiro e agosto de 2021 (r de -0,68 e -0,57, respectivamente).

Discussão

A pandemia de COVID-19 impôs diversos desafios ao serviço de atenção domiciliar. A necessidade de racionalização da ocupação do leito de internação catalisou a reestruturação do serviço de OPAT e a criação de CCID. As taxas de OPAT sofreram influência de indicadores epidemiológicos locais e apresenta tendência a redução na medida que avança o controle da pandemia. Nosso estudo demonstrou que a vacinação contra COVID-19 impactou positivamente o consumo de antibióticos no serviço.

Full text is only aviable in PDF
The Brazilian Journal of Infectious Diseases
Article options
Tools