Journal Information
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 124-125 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Issue S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 124-125 (December 2018)
EP‐176
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.238
Open Access
URBANORUM SPP NO BRASIL: ESTAMOS DIANTE DE UMA NOVA PARASITOSE EPIDÊMICA?
Visits
8252
Francisco M.D. Leão, Alice Siniauskas, Regina Corbucci, Carlos R.V. Kiffer
Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
This item has received
8252
Visits

Under a Creative Commons license
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: TV 4 ‐ Horário: 13:58‐14:03 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: Debates científicos têm surgido sobre nova parasitose intestinal de humanos, Urbanorum spp, descrita no Peru em 2016 e no Brasil em 2018. Embora haja relatos na literatura médica, todos têm sido baseados na estrutura morfológica dos potenciais parasitas, com pouca exploração das características clínico‐epidemiológicas ou moleculares.

Objetivo: Descrever achados laboratoriais e clínicos compatíveis com Urbanorum spp.

Metodologia: Como parte da rotina de um laboratório central, amostras de fezes recebidas de diversas regiões do Brasil são analisadas pelo método de Hoffman e microscopia ótica para análise morfológica dos microrganismos observados. Foram feitos 5.786 PPF de rotina de 27/07/18 a 23/08/18, 84 (1,45%) apresentaram características morfológicas compatíveis com Urbanorum spp. Dez pacientes com amostras positivas foram convocados para consulta com questionário clínico‐epidemiológico em hospital filantrópico de São Paulo.

Resultado: Das 84 amostras positivas, 20 foram registradas por fotografia ou filmagem e 40 estão mantidas em freezer ‐20° para estudos posteriores, 36 (43%) são da Região Centro‐Oeste do Brasil e 48 (57%) da Grande São Paulo. Nos extremos de idade, uma amostra foi proveniente de criança de 10 meses e uma de adulto com 91 anos. Dos 10 (11,9%) pacientes convocados para consulta clínica, a média de idade foi 32,4 e a mediana de 33 anos, três eram crianças (de quatro a oito anos) e o restante adultos. Dentre esses, cinco (quatro adultos e uma criança) foram submetidos a questionário clínico‐epidemiológico e apresentaram‐se assintomáticos no momento da consulta, são moradores da mesma região/bairro na cidade de São Paulo, apresentam contato profissional esporádico com indivíduos provenientes de outros países da América Latina, Europa e América do Norte, quatro são funcionárias do hospital filantrópico e uma criança é filha de uma funcionária igualmente infectada.

Discussão/conclusão: Foram identificadas 84 amostras de fezes com características morfológicas sugestivas de Urbanorum spp em indivíduos da Região Centro‐Oeste e de São Paulo. Desses, 10 casos são provenientes de uma mesma unidade filantrópica, dos cinco entrevistados até o momento todos estavam assintomáticos. Embora não haja até o momento estudos mais aprofundados sobre esses potenciais parasitas, em especial com sua devida caracterização molecular e taxonômica, em função da frequência de amostras altamente sugestivas, entendemos tratar‐se de situação que merece atenção dos órgãos de saúde.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools
Cookies policy
To improve our services and products, we use cookies (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here.