Journal Information
Vol. 22. Num. S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 1-144 (December 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 22. Num. S1.
11° Congresso Paulista de Infectologia
Pages 1-144 (December 2018)
EP‐144
DOI: 10.1016/j.bjid.2018.10.206
Open Access
CASO DE SARAMPO EM ADULTO VACINADO
Visits
242
Natália Tauil da Costa Branco, Lude Bittencourt Silveira, Gabriela Carolina Tangerino, Gilberto Gambero Gaspar, Juliana Rezende, Afonso Dinis Costa Passos, Roberto Martinez
Hospital das Clínicas (HC), Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Universidade de São Paulo (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil
This item has received
242
Visits

Under a Creative Commons license
Article information
Full Text

Data: 19/10/2018 ‐ Sala: TV 9 ‐ Horário: 10:37‐10:42 ‐ Forma de Apresentação: E‐pôster (pôster eletrônico)

Introdução: O sarampo é uma doença aguda, de etiologia viral, altamente contagiosa, caracterizada por febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e um enantema específico, seguido de erupção maculopapular generalizada. As importantes manifestações respiratórias distinguem o sarampo das outras doenças exantemáticas. É causado por um RNA‐vírus, membro da família Paramyxoviridae e pertencente ao gênero Morbillivirus.

Objetivo: Nos últimos anos, com a grande movimentação da população mundial ao redor do globo, a circulação do vírus do sarampo em várias regiões do mundo se acentua e põe em risco indivíduos susceptíveis que viviam em áreas anteriormente sem risco para a doença, expõe a baixa cobertura vacinal em várias regiões do mundo.

Metodologia/relato de caso: Mulher, 29 anos, pediatra, natural do Estado de São Paulo, procedente do Líbano, foi admitida na enfermaria de MI do HCFMRP com relato de febre havia cinco dias, com início ainda no Líbano, mialgia, odinofagia e tosse seca. Havia um dia evoluíra com quadro de exantema maculopapular, crânio‐caudal, preservou‐se MMII. Negou rinorreia ou conjuntivite. Referiu proceder de região com surto de sarampo, teve contato com uso de EPI com crianças doentes. Relato de imunização adequada, com três doses de tríplice viral. Em exames complementares, verificadas leucopenia e linfocitose relativa. Levantada a hipótese diagnóstica de sarampo. Feita notificação de caso com posterior confirmação através de positividade de PCR em secreção nasofaríngea e urina. O vírus isolado foi o de genótipo D8.

Discussão/conclusão: O sarampo é uma doença infecciosa grave, que pode evoluir com complicações e óbito. O Brasil recebeu certificado de eliminação da doença, porém desde janeiro de 2018, com os movimentos migratórios da população da Venezuela em direção aos estados de Roraima e Amazonas, onde a cobertura vacinal para o sarampo estava bem abaixo da recomendação (95%), novos casos importados da doença têm sido registrados. É fundamental, portanto, levar em consideração a epidemiologia do local de onde o paciente provém, além da manutenção do sistema de vigilância epidemiológica da doença, com o objetivo de detectar oportunamente todo caso de sarampo importado, bem como adotar todas as medidas de controle de surtos.

The Brazilian Journal of Infectious Diseases

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools
Cookies policy
To improve our services and products, we use cookies (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here.